Saturday, April 07, 2007

Jesus - O Mestre

Há mais ou menos 1974 anos atrás um homem, mas não apenas “um” homem, mas digo-vos que O Homem, o maior de todos, inigualável, inalcançável, inatingível, incomparável, deu sua vida por nós.
Muitas pessoas ao longo de dois milênios também deram as suas vidas por algo, as vezes por algo de imenso valor, as vezes por algo não tão grande, mas não Ele, Ele a deu como prova de amor, do maior amor, pois “Ninguém tem maior amor do que este, de dar alguém a sua vida pelos seus amigos” e Ele o fez.
Desprendido de tudo que nos preocupa a mente presa à Terra, desprendido de tudo, de uma maneira tal que Seu sofrimento não pode ser alcançado por nenhum dos mártires em nenhuma época da humanidade. De uma maneira tal que não há entre os vivos e nem entre os morto qualquer um que possa levantar sua voz para dizer: “Eu sofri como Ele”.
Ainda que alguém possa ter sofrido imensamente, de uma forma surpreendente, totalmente dolorosa, que façam até os mais corajosos temerem, ninguém pode até hoje se igualar a Ele, nem por intensidade, nem por quantidade e nem muito menos chegar ao menos perto da tamanha resignação e tamanha compaixão por aqueles que o flagelaram, por aqueles que lhe cuspiram na face, por aqueles que lhe fizeram tropeçar com enorme cruz às costas, por aqueles que lhes arrancaram a roupa, ou mesmo aqueles que lhe pregaram as mãos e os pés.
Tamanha piedade, tamanho amor, tamanho perdão e misericórdia, não são alcançáveis por nós meros mortais em fase de despertar para a vida espiritual. Só mesmo alguém que desde sempre esteve preparado, que passou quatro mil anos descendo de esfera em esfera para poder se fazer como um de nós, que passou somente três anos de sua curta vida a ensinar as verdades do Reino dos Céus, e que por livre vontade escolheu que sofreria tudo quanto sofreu, sabendo ainda que sofreria uma triste traição por parte de um de seus discípulos, que seria negado por quem dizia amá-lo, que seria abandonado por tantos outros, que somente um deles estaria ao seu lado no momento derradeiro. Somente alguém iluminado ao extremo, Co-Criador do Universo, que mesmo sabendo da traição diz: “O que tem de fazer, faze-o depressa”, somente O Senhor dos Senhores, O Cordeiro Santo de Deus, O Messias Nazareno, somente Aquele sobre o qual foi dito “quem nele crê não pereça mas tenha vida eterna” seria capaz de tamanha atitude, tamanho testemunho.
Lembremos de que hoje não é o dia do chocolate, é o dia em que após tanta dor e tanto sofrimento Ele volve a nós, resplandecente, tomado pela luz que o caracteriza, rompendo as barreiras da vida e da morte, para nos dar o Testemunho de que a vida não para no túmulo, que ela segue em frente, que “além da vida que se tem, existe uma outra vida além, e assim um renascer, morrer não é o fim”.
Assim como Ele seguiu para a morada do Pai, nós o faremos uma vez mais, assim que cumprirmos nossa pequena estada na Terra, a Escola Jesus Cristo. Não iremos de pronto para onde Ele se encontra, pois como Jesus mesmo disse: “Para onde vou agora vós não podeis ir”, mas deixou para nós um caminho: “Eu sou o caminho, a verdade e a vida, ninguém vem ao Pai senão por mim”.
Reflitamos neste dia de grande alegria. O dia no qual se quebra para sempre a idéia de vida finda ao túmulo. E para terminar, aqui fica um pequeno texto que se chama “Quem é Forte”.

Dizem que o Ferro é forte,
Mas o fogo derrete o ferro.
Dizem que o Fogo é forte,
Mas a água apaga o fogo.
Dizem que a Água é forte,
Mas o vento espalha a água.
Dizem que o Vento é forte,
Mas a montanha para o vento.
Dizem que a Montanha é forte,
Mas o homem destróis a montanha.
Dizem que o Homem é forte,
Mas a morte elimina o homem.
Dizem que a Morte é forte,
Mas Jesus venceu a morte.

Que a Paz de Nosso Senhor esteja com vocês neste dia. Um abraço a todos.

1 comment:

Juliana said...

Oi, Yuri!
Bonita mensagem de páscoa...
Boa páscoa!
Bjs